Número total de visualizações de página

domingo, 26 de julho de 2009

Entrevista ao Oeste Online

Francisco Gomes // Edição de 19-07-2009
Junta de Freguesia de Nossa Senhora do PópuloTeresa Serrenho –
“Quero candidatar-me para agitar as águas mornas”

Em entrevista ao Oeste Online , Teresa Serrenho, que se disponibiliza para ser candidata à Junta de Freguesia de Nossa Senhora do Pópulo, numa lista independente, explica que quer "agitar as águas mornas”.
Oeste Online – É candidata independente, como tal não está ligada a qualquer partido…
Teresa Serrenho – Exactamente, mas ainda não sou candidata. Apresentei a minha propositura. O que me fará avançar são as assinaturas que estou a recolher na freguesia. Deverão ser precisas cerca de 300.
Oeste Online – Como está a correr a recolha de assinaturas?
Teresa Serrenho – Há pessoas voluntárias que se ofereceram para recolher assinaturas. Tenho de entregá-las até 17 de Agosto e tenho visto muita gente que partilha da opinião que é preciso mudar alguma coisa. Não vou revelar ainda a equipa nem programa, só quando for candidata. Tenho assinaturas de pessoas de todas as tendências. É mais uma hipótese de escolha do eleitorado, o que é também o meu objectivo, para fazer agitar as águas mornas. Surpreende-me de algum modo o entusiasmo que colocam nesta aventura, é um bocadinho ousado dar a cara por um projecto sem apoio partidário.
Oeste Online – O que é que a motiva a lançar-se nesta candidatura?
Teresa Serrenho – Foi um desafio lançado por a lgumas pessoas e o desencanto que é comum a muita gente em relação aos políticos. Esta é a terra onde nasci e senti ousadia em fazer alguma coisa. A cidade está descaracterizada. A cidade das Caldas morreu um pouco, perdeu a sua vida activa. Há alguns anos a vida de Verão era muito rica na cidade, onde à noite havia muita gente a passear. A ideia base da minha candidatura é tornar a cidade apelativa para trazer as pessoas.
Oeste Online – A sua vida profissional é na docência…
Teresa Serrenho – Tenho 53 anos. Sou directora do agrupamento de escolas de Campelos, em Torres Vedras. Fui professora nas Caldas e presidente da Associação de Artesãos das Caldas da Rainha. Tive projectos empresariais como a empresa Licores Malandrice e a Bombondrice.
Oeste Online – O seu marido fez parte de um anterior executivo da Junta, nas listas do PSD…Teresa Serrenho – Ele reconhece as minhas capacidades e tem sido um apoio incondicional. Pelo facto do meu marido ter estado na Junta, liderada pelo sr. Vasco Oliveira, antes de tornar público a minha propositura dei conhecimento ao presidente da Junta, pela ligação que temos. Fui dizer-lhe que não tenho nada que me mova contra ele.
Oeste Online – Tem experiência autárquica?
Teresa Serrenho – Não. O facto da minha candidatura não ser partidária poderá ser uma mais valia para quem está desencantado.
Francisco Gomes

segunda-feira, 20 de julho de 2009

O Nosso Presente e o Nosso Futuro

Vale a pena ler uma petição que foi redigida e subscrita por um grupo de cidadão preocupados com a política actual no nosso país, transcrevo algumas linhas do seu texto final:
" Contamos que as vozes de homens e de mulheres, cidadãos deste país, sejam seriamente tomadas em conta. Por isso, aguardamos, esperando ouvir nos próximos debates eleitorais reacções, respostas, contrapropostas por parte de cada um dos partidos relativamente às questões neste texto apresentadas.
Queremos poder confiar mais: uns nos outros, na nossa capacidade produtiva, nas palavras que trocamos, nos compromissos que assumimos (veracidade e sentido de responsabilidade), na nossa comum honradez.
Confiamos em que seja possível o Estado vir a dar provas de que confia nos cidadãos (no modo de legislar, nas práticas administrativas) e os cidadãos virem a ter razões para confiarem mais no Estado, e assim todos podermos ter mais confiança no nosso futuro comum: um futuro com mais qualidade de vida e mais alegria para todo os homens e mulheres que habitam este País." (15 Julho 2009)
Acabei de ler e assinar a petição online: «O Presente e o Futuro do País em Debate» http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2009N267 Eu pessoalmente concordo com esta petição e acho que também podem concordar. Subscreva a petição e divulgue-a pelos teus contactos. Obrigado, Maria Teresa Maio Santos Milhanas Serrenho

domingo, 19 de julho de 2009

Assinaturas!...



Tem sido muito gratificante e até curiosa a manifestação cívica de cidadãos, das mais variadas tendências, que têm assinado a lista de propositura do nosso movimento "Viver a Cidade". Desde o que quer assinar logo ali... (mesmo que seja numa prateleira de super mercado), outros que pedem o telefone a alguém para saber onde podem assinar, outros que por se identificarem com o movimento querem ficar com uma lista para também eles recolherem assinaturas, outros que se emocionam por se identificarem com o manifesto...
Enfim o melhor de tudo é sentirmos que efectivamente há muita gente a identificar-se com a nossa proposta!...

sábado, 18 de julho de 2009

Gazeta das Caldas 17-07-2009 (continuação)

Posted by Picasa

Gazeta das Caldas

Posted by Picasa

Jornal Oeste Online

Caldas da RainhaTeresa Serrenho é candidata independente em N. Sra. do PópuloTeresa Serrenho é candidata independente à Junta de Freguesia de Nossa Senhora do Pópulo, integrada no Grupo de Cidadãos “Viver a Cidade”. “Tenho ... 04-07-2009 F.G.

Jornal das Caldas 01-07-2009

Posted by Picasa

Jornal das Caldas 15-07-2009

Posted by Picasa

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Palavras...

Ao escolhermos um nome para este blog, escrevemos as três palavras sem espaços e de repente vimos que poderia ter outro significado: Viveracidade = vi+veracidade...
Veracidade, palavra de origem latina formada pelo adjetivo uerus, ''verdadeiro" e uerbun , "palavra", ou seja, a palavra verdadeira. Há décadas que esta palavra é pronunciada, mas grande parte da população não faz uso. Por desconhecer o seu sentido? Ou porque a qualidade de verdade, versatilidade, verossímil tem cada vez menos valorização no "mercado"?
O movimento Viver a Cidade dá valor ao peso da palavra "Veracidade" que defende fazendo jus ao seu significado!...
Mas também pode pensar-se... "Vi" de ver a cidade!... E ao olharmos a cidade quantas vezes não a vimos realmente? Mas ela comunica, o seu ambiente pode ser um meio de comunicação que nos transmite sentimentos e sensações. Por vezes a correria do dia a dia não nos deixa olhar com olhos de "ver", mas a personalidade da cidade surge a partir de seu uso. A cidade é feita de ruas, de edifícios, de recantos, de pormenores (um azulejo, uma janela, um degrau)... A cidade é feita de história das pessoas que por ali passaram. De história que continua a ser feita pelos que lá vivem agora... A cidade tem uma "alma" que transmite a quem nela vive, possui vida própria e é capaz de fornecer ensinamentos, mas ao mesmo tempo são os seus cidadãos que a constroiem e lhe dão sentido. Viver a cidade é mais do que nela morar, é sentirmo-nos parte dela é sentirmos a responsabilidade de a querermos cada dia melhor!...

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Manifesto

Manifesto de Proposta à Junta de Freguesia das Caldas da Rainha, N.ª Senhora do Pópulo – VIVER A CIDADE













“ Eu não sou como muitos que estão no meio de um grande ajuntamento de gente e completamente isolados e abstractos. A mim o que me rodeia é o que me preocupa”.
(Cesário Verde)

Saudades, tenho saudades das Caldas, das Caldas com personalidade própria, das Caldas que chamava a si milhares de forasteiros nas suas Feiras da Cerâmica e da Fruta, onde se passeava num parque pleno de vida, onde vinham turistas, onde muitas vezes ficavam a viver, quem por cá passava casualmente (no serviço militar, em trabalhos vários, ou como professor), ficavam, porque se sentiam atraídos pela cidade acolhedora e a fervilhar de vida.
Claro que a vida mudou, os interesses mudaram, mas a cidade tem que ser das pessoas que a têm que sentir como sua.
A cidade tem que agradar-lhes para que elas se possam apropriar e amar os seus espaços, as suas riquezas, os seus encantos!...
Chamo-me Maria Teresa Maio S. Milhanas Serrenho, nasci nas Caldas da Rainha, (antigamente dizia-se Freguesia e Concelho de Caldas da Rainha), hoje Freguesia de N.ª Senhora do Pópulo.
Aqui cresci, aqui estudei, aqui nasceram os meus filhos e os meus netos. E é por amor a esta terra, nem sempre valorizada como devia, que sinto que é tempo de fazer alguma coisa em seu favor.
Impulsionada por um grupo de cidadãos, que para além do amor às Caldas partilham comigo o desencanto e a desilusão que têm sido os partidos políticos, com os seus círculos fechados, onde quem consegue penetrar não é muitas vezes porque tenha mérito, não é porque tenha projectos ou valor, mas sim porque pertence ao “aparelho” ou porque não constitui ameaça ao poder há muito instituído.
Assim, decidi candidatar-me a Presidente da Junta de Freguesia de Caldas da Rainha, N.ª Senhora do Pópulo.
Não, quero lutar contra ninguém, pois sou uma pessoa de paz. Não concorro contra, concorro a favor das Caldas, do coração da cidade!
Tenho consciência que não é uma tarefa fácil mas é possível!
Sei que é difícil motivar as pessoas ocupadas dentro das suas atarefadas vidas, pessoas que deixaram há muito de participar, que deixaram até de reclamar e muitas até de votar.
Mas não podemos continuar a ser “espectadores”! Todos somos responsáveis, todos temos que nos preocupar e só a mudança de pequenas coisas poderá melhorar o todo, melhorar as Caldas onde vivemos.
Acredito que é possível fazer mais e melhor, e acredito tal como os que me apoiam, que serei uma peça importante nessa mudança, na defesa do bem comum que temos obrigação de deixar melhorado para as gerações vindouras.
Nasci nas Caldas, sou “Águas Mornas” com orgulho, pois sou pacífica e apaziguadora, mas como todas as águas têm o seu ponto de ebulição, vamos mesmo agitar as águas das Caldas da Rainha!...
Conto Convosco!
Sabem que contam comigo!...
Maria Teresa Maio Santos Milhanas Serrenho