Número total de visualizações de página

terça-feira, 23 de julho de 2013

No dia 21 realizou-se mais um encontro mensal "21 às 21", apesar de ser domingo e ser uma condicionante, tivemos um encontro bem interessante onde se falou de Saramago, da sua obra e de outros autores de Língua Portuguesa. Amilcar Couvaneiro fez uma excelente apresentação de Rui Calisto e uma óptima moderação do debate que se seguiu.





"21 às 21" de Junho

Evelyn Moraes e Castro, foi a convidada do encontro de Junho, moderado pela associada Leonor Leitão. Utilizando as palavras de Evelyn, fica a sua mensagem:
"O direito do Cidadão em se inteirar sobre os actos dos governantes, em se informar sobre a forma de gestão do Estado, dos seus objectivos visíveis e invisíveis, é um direito intrínseco à democracia participativa, ou seja de ela própria.
Decorre do direito fundamental dos cidadãos de exercer o seu controlo sobre o poder e de participar activamente nos assuntos públicos pela simples razão do seu nome estar inscrito como responsável.
A auditoria do Cidadão, para além do controlo financeiro tem um papel eminentemente político, ligado a duas necessidades fundamentais da sociedade: a transparência e o controlo democrático do Estado e dos governantes pelos cidadãos.
Reflictam, trata-se de necessidades que se refere a direitos democráticos completamente elementares, reconhecidos pelo direito internacional, direito nacional e pela Constituição, por conseguinte porque insistir em dar a aprovação ao poder político governativo para continuar a violá-los permanentemente?!!!!
SEJAMOS MAIS INTELIGENTES CIDADÃOS, agarremos a este instrumento legal, Principio de Auditoria de Cidadão, instrumento essencial de resistência e de reapropriação democrática na governação, assine e divulgue no seio do seu meio relacional. http://www.peticaopublica.com/?pi=P2013N38162
chamo a atenção que não necessita de ser aprovado por nenhum orgão do Estado, utilizei este canal para medir em % a vontade da sociedade em número de assinaturas do cidadão. "