Número total de visualizações de página

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Assembleia Constituinte da nova Associação - Movimento Viver o Concelho


"O que mais me preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem carácter, dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons."
Martin Luther King


O Movimento Viver a Cidade nasceu desta inquietação, da inquietação provocada pela conjectura política e social em que nos vemos envolvidos! Nesta realidade do quotidiano desta falta de expectativas, desta falta de esperança, deste conformismo instalado e desta constante sensação de a seguir vir sempre mais do mesmo!... Nasceu então a necessidade cívica de intervir efectivamente, de deixarmos de ser espectadores e de despertar as consciências daqueles que nos rodeiam, daqueles que podem efectivamente trazer mais ideias, mais sonhos, outros sonhos, mais projectos, mais inquietação também!... E sobretudo mais vontades, contra a apatia que parece contagiar ainda mais a sociedade portuguesa do que a gripe A!....
Para além do objectivo inicial do Grupo de Cidadãos Viver a Cidade, surgiu no grupo a necessidade de dar continuidade a um trabalho iniciado e em que 12,75% dos cidadãos da nossa Freguesia acreditaram, mas para além desses sentimos muitos outros apoios e muitas outras expectativas daí ter surgido uma nova ideia, a constituição de uma associação/Movimento cívico: O Movimento Viver o Concelho em que todos os caldenses se possam rever e sentir representados. O MVC tem como objectivo contribuir, através de todos os meios de intervenção cívica, para o aprofundamento da democracia participativa, visando a renovação da vida democrática por via do preenchimento e efectivação das metas morais e sociais da Constituição da República.

Maria Teresa Serrenho

"UTOPIA: Ela está no horizonte, acerco-me um passo e ela se afasta dois. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos mais. Por muito que eu caminhe - Nunca a alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso. Para nos fazer caminhar."
Eduardo Galeano

Sem comentários:

Enviar um comentário